Logotipo BRC News

Prazo para atualizar dados e evitar suspensão do Auxílio Brasil vai até sexta

Cad único

Os beneficiários do Auxílio Brasil que estão há mais de dois anos sem alteração têm até esta sexta-feira (14) para atualizar suas informações no Cadastro Único (CadÚnico) e evitar a suspensão e cancelamento de benefícios.

O Cadastro Único (CadÚnico) é o principal instrumento do governo para a inclusão de famílias de baixa renda em programas federais como Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) e Benefício de Prestação Continuada (BPC), além de dar direito ao Auxílio Emergencial e ao Auxílio Brasil, entre outros benefícios.

Segundo a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc) de 14 mil famílias de Manaus têm até esta sexta para atualizar CadÚnico e evitar suspensão do Auxílio Brasil. Essa parcela faz parte do grupo de beneficiários que não atualiza as informação há mais de dois anos.

A atualização pode ser realizada em uma das 20 unidades de Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), veja os endereços completos clicando aqui.

Confira os prazos

Famílias que não atualizam o cadastro desde 2016 ou 2017

Para evitar o bloqueio do Auxílio Brasil:

  • Prazo: 14 de outubro de 2022

Para evitar o cancelamento do Auxílio Brasil e da Tarifa Social de Energia Elétrica:

  • Prazo: dezembro/2022

O que acontece se os cadastros não foram atualizados ?

A falta de atualização dos dados do Cadastro Único pode levar à suspensão de benefícios e posterior cancelamento. Se os registros não forem regularizados, as famílias podem ser excluídas do Cadastro Único a partir de julho de 2023. As informações são utilizadas ainda pelos estados e pelos municípios para implementação de políticas públicas.

Estar no Cadastro Único, porém, não significa a entrada automática nesses programas, pois cada um deles tem suas regras específicas. Mas é pré-requisito para que a inscrição seja avaliada.

Atualização dos dados

Quando a família se inscreve no Cadastro Único, ela se compromete a atualizar os dados sempre que há uma mudança nas características da família (morte de alguém, nascimento, separação ou casamento) ou mudança de domicílio ou, no máximo, a cada dois anos.

Nesse caso, o próprio cidadão busca espontaneamente um CRAS ou posto do Cadastro Único para atualizar seus dados. Mas o poder público, por meio do governo federal ou municipal, também pode convocar as famílias, por meio de cartas, extratos ou telefonemas, a fazer a atualização.

*G1Amazonas

Últimas Notícias

Rolar para cima