Logotipo BRC News

Nacional adere campanha Dezembro Verde

Movimento tem como objetivo combater o abandono e maus-tratos contra animais. O CT do clube acolheu duas cadelas que se tornaram mascotes do elenco

O mês que é lembrado pelo período de férias e festividades, também carrega uma cor que representa uma causa importante, a proteção aos animais. Por isso, o Nacional Futebol Clube aderiu à campanha Dezembro Verde que tem como objetivo combater os maus-tratos e abandono de animais. Para a ação, o clube mudou os perfis das redes sociais, mostrou as duas cadelas que foram adotadas pelo Centro de Treinamento Barbosa Filho e se tornaram as mascotes do elenco azulino, além de indicar como e onde adotar seu ‘melhor amigo’.

Vigia do Naça há mais de 20 anos, Jander Santos Lira, 50, é um dos responsáveis por cuidar dos animais acolhidos. Ele contou que desde que chegou ao CT do Mais Querido, o clube adotou seis cachorros que estavam abandonados, com graves ferimentos e famintos. O colaborador fala do amor, carinho e cuidado que tem por eles e agradece a todos do clube que mostram afeto pelos bichos.

“Desde que cheguei aqui já adotamos seis cachorros, todos sem raça definida, a Bolinha, Pretinha, Belinha, Sasha, Amarelinha e o Claudinho, mas como é processo da vida perdemos três de velhice mesmo. Eles geralmente chegam aqui bem ruins, machucados, famintos e amedrontados, mas nunca violentos. Hoje só temos a Bolinha e a Amarelinha e todas as vezes que chega um elenco novo, no começo, elas estranham, mas depois pegam amizade e confiança, daí fazem graça”, garante. O vigia azulino admite que as duas cadelas até ajudam na segurança do local de trabalho, declara que elas são suas melhores amigas e emocionado fala do tratamento e sentimento pelas mascotes. “Tem que ser assim como a gente faz, adotar com carinho, não judiar, não maltratar. É uma vida também. A gente não tem que abandonar, quando morrer, a gente não pode fazer nada. Aqui elas são minhas parceiras de trabalho e minhas amigas”, afirma.

Natural de Taubaté (SP), o meia, Léo Aquino, 27, é estreante no futebol nortista e apaixonado por animais, tanto que tem um cãozinho e admite sentir saudades do pequeno Teddy. Ele revela o encantamento com os animais que aparecem no CT, agradece por fazer parte de um grupo preocupado com todos e revela o carinho pelas mascotes nacionalinas.

“É maravilhoso, animal eu costumo dizer que é o melhor amigo do homem e aqui não é diferente, os animais vem para brincar e a gente retribui o carinho. Estou muito feliz, são cachorros adoráveis. Por isso, é muito importante termos esses bichinhos ao nosso lado. Hoje em dia, o povo prefere comprar, ao invés de adotar. Você vê um monte de animal abandonado e se cada um fizer a sua parte, essa realidade vai mudar. O que o Nacional está fazendo é de extrema importância, por ter milhares de seguidores e um grande alcance, isso ajuda a promover as lutas em prol desses assuntos especiais e servir de exemplo, por ter adotado animais abandonados”, ressalta.

No último dia 10 de dezembro foi celebrado o Dia Internacional do Direito dos Animais, e dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que no Brasil existem cerca de 30 milhões de animais abandonados. Desse total, são mais de 10 milhões são gatos e 20 milhões são cães. O professor universitário e médico veterinário, George Schmalz, 29, parabenizou o Nacional pela ação e destacou a importância da adoção.

“Eu gostaria de parabenizar a iniciativa do Nacional Futebol Clube e a oportunidade de falar do assunto. O Dezembro Verde é justamente o combate ao abandono e aos maus-tratos aos animais. É muito importante que a pessoa que deseja ter um animal, pense se quer comprar ou adotar e é necessário entender que os animais, assim como, nós, seres humanos, sentem fome, sede e medo. Então, deixar esse animal no sol, dias sem comer, sem acesso a água, deixar acorrentado sem chance de se locomover direito, é considerado maus-tratos. E tanto maus-tratos, quanto o abandono de animais é crime no Brasil e existe a pena de até detenção desses infratores”, advertiu.

“Quando a gente adota um animal estamos fazendo uma enorme boa ação a ele. Daremos um lar, evitamos que ele seja maltratado na rua, que sofra um atropelamento e ele vai ganhar uma família, com amor, carinho, proteção, felicidade e, com isso, estaremos contribuindo, tanto para a vida desse animal quanto para a sociedade em geral, pois existem algumas doenças que são classificadas como zoonoses, ou seja, são transmitidas do animal para os seres humanos. Adotar é um ato de amor ao animal e a nossa sociedade”, finalizou.

De autoria da Deputada Estadual, Joana Darc, a Lei 5.681 que aplica multa de R$ 50 mil e proibição de contrato com a administração pública por três anos de pessoas condenadas por maus-tratos aos animais no Amazonas foi uma conquista na proteção aos animais.

Adote seu mascote

A ONG Anjos de Rua existe há cinco anos e contribui com o controle populacional de animais abandonados, oferece atendimento em casos de maus-tratos, promove a adoção de vários animais em suas instalações, além de disponibilizar vacinação e castração a preços acessíveis.

Os interessados em adotar devem concluir um processo que inicia com o preenchimento de um formulário e com base nas respostas, cada pessoa terá seu perfil analisado e será comunicado se estará apto a adotar e se o pet escolhido será o ideal. A Anjos de Rua está localizada na Travessa Ouroeste, 2- Conjunto Jardim Paulista, bairro Aleixo, zona Centro-Sul de Manaus. CEP: 69.060-330. Para agendamento entrar em contato através dos números: 92 99136-3600/ 92 99350-7361; Dúvidas: 92 99321-3306; Adoções: 92 99136-1800. Email: contato@anjosderuamanaus.ong.br.

FOTOS: Deborah Melo

Últimas Notícias

Rolar para cima