Logotipo BRC News

Ação de Mediação cultural chega á escola pública nesta quarta-feira (05)

Esse é o XVI Festival de Teatro da Amazônia e suas atividades da programação seguem, até o dia 12 deste mês

Foto: Laryssa Gaynett

O XVI Festival de Teatro da Amazônia (XVI FTA), realizado pela Federação de Teatro do Amazonas (Fetam), apresentará um espetáculo para os alunos da Escola Estadual Marquês de Santa Cruz, localizada no São Raimundo, zona Oeste de Manaus. A ação que acontece nesta quarta-feira (5), é em parceria com Escola de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (ESAT/UEA), e conta com 23 acadêmicos do curso como mediadores.

Os acadêmicos do curso Teatro da ESAT/UEA, matriculados nas matérias escolares pedagogia do espectador e pedagogia do teatro, ministrada pela professora e atriz Daniely Peinado, atuarão como mediadores na atividade realizada com estudantes de 12 escolas públicas e um curso livre. “A mediação cultural envolve todo um processo antes (pré-espetáculo), durante e pós-apresentação. É uma ação colaborativa, dinâmica, onde o graduando usa seu conhecimento para criar estratégias de diferentes formatos, mas com um objetivo principal que é criar pontes entre a obra e o espectador”, explica a professora.

No colégio Marquês de Santa Cruz, por exemplo, a mediação cultural iniciou antes mesmo da data de apresentação. Os graduandos fizeram uma integração com a escola previamente e terão a participação efetiva de um professor e um gestor durante toda a atividade. Os mediadores irão receber os alunos, estarão preparados para repassar informações técnicas da montagem, vão acompanhá-los durante o espetáculo e irão intermediar um bate-papo entre público e artista após a exibição. Outro exemplo de mediação cultural ocorreu no último dia 04, onde estudantes da Escola Estadual Vicente Schettini realizaram a visita guiada no Teatro Amazonas, onde tiraram dúvidas com um guia especializado, depois acompanharam o espetáculo da programação e, ao final, participaram de uma roda de conversa com artistas. No mesmo lugar, a atividade também recebeu aalunos do Curso de Teatro do Centro de Convivência da Aparecida e do Centro Municipal de Arte e Educação Aníbal Beça.

Para o presidente da Fetam, Francis Madson, a mediação cultural fomenta um envolvimento entre artistas, público, professores e até mesmo entre a comunidade. Para ele, os mediadores acompanharem esses alunos e repassarem informações como narrativa, história, principais ideias, linguagem e etc., assim como o contato deles com os artistas, possibilita a sensibilização das pessoas para a cultura e para a arte. “Há anos debatemos, seja nos cursos ou nos festivais, sobre formação de público, sensibilização de plateia e etc. Ações como essa ajudam a construir hábitos de consumos de bens culturais”, explica o presidente da Fetam, Francis Madson.

Nesta quarta-feira (05), também haverá mediação cultural no Teatro Gebes Medeiros, com alunos do EJA (Educação de Jovens e Adultos). No total, 13 ações de mediação cultural serão realizadas durante o XVI FTA, a maior parte delas será com os estudantes indo até os locais de apresentação dos espetáculos. A ação também envolve alunos de todas as idades que são encaminhados conforme a classificação do espetáculo. A entrada é gratuita todos os dias e o programa completo está disponível nos canais digitais da Fetam no (https://linktr.ee/FETAM).

Programação

A programação do XVI FTA inicia às 10h na Escola Estadual Marquês de Santa Cruz (Rua Virgílio Ramos, S/N – São Raimundo). O grupo T-Art.com, do Amazonas, apresenta o espetáculo “Um Fantasma para sua Majestade” que conta a história de um fantasma ronda num palácio arruinado por guerras constantes, onde tropas inimigas invadiram o palácio e sumiram com todos, somente restou um rei, um grilo serviçal ignorante, uma gatinha medrosa e manhosa e um cão raivento e pulguento.

Às 17h, Jônata Gonçalves, de Santa Catarina apresenta “Amar é Crime”, no Teatro Gebes Medeiros. A montagem mostra dentro do camarim, esse lugar ritualístico, de transição entre o real e a ficção, onde um ator nos traz uma série de histórias em que o amor flerta com seu reverso: a dor, a morte, o mal. Com classificação de 18 anos, a montagem está em competição pela Mostra Jurupari.

Imagens do palco: Laryssa Gaynett

A programação encerra às 20h no Teatro Amazonas com a Mostra Ednelza Sahdo. O grupo Manada Teatro (CE) apresenta “Murillo João Ramos Acácio Pereira da Costa: Um Artista da Luz Vermelha”. A classificação é 18 anos. Em seu trabalho “solo”, o ator e diretor Murillo Ramos, se debruça sobre a vida de João Acácio Pereira Da Costa, o Bandido da Luz Vermelha, para falar sobre o sucesso e o fracasso dentro de uma narrativa limítrofe entre a loucura e sanidade.

Debate no Casarão de Ideias

Nesta quarta-feira, o XVI FTA dá início aos Debates dos Espetáculos, que irá ocorrer de 05 a 13 de outubro, no Casarão de Ideias. Apenas as montagens da Mostra Jurupari (competitiva) serão debatidas entre artistas, públicos e os jurados, entre eles Monique Cardoso (CE), Gyl Giffony (CE) e Kleber Lourenço (PE – SP). A mediação do debate (que é diferente da mediação cultural) será feita por Vanja Poty (SP-AM). Os debates ocorrem das 13h às 15h, todos os dias até 13 de outubro. A entrada é gratuita.

Programação 05/10 (quarta-feira)

Espetáculo Convidado

Um Fantasma para sua

Majestade (AM)

Grupo: T-Art.com

Horário: 10h

Classificação: Livre

Mostra Jurupari

Amar é Crime (SC)

Grupo: Jônata Gonçalves

Horário: 17h

Classificação: 18 Anos

Mostra Ednelza Sahdo

Murillo João Ramos

Acácio Pereira da Costa:

Um Artista da Luz Vermelha (CE)

Grupo: Manada Teatro

Horário: 20h

Classificação: 18 Anos

Últimas Notícias

Rolar para cima